ACESSE GRATUITAMENTE + DE 290.000 QUESTÕES DE CONCURSOS!

Informações da Prova Questões por Disciplina Downloads Tribunal de Justiça - Espírito Santo - Analista Judiciário - Apoio Técnico-Especializado - Arquivologia - CESPE - UnB - 2011 - Prova Objetiva

Do lixo ao Oscar

1     O começo foi lá atrás e não foi fácil. A profissão que
2     hoje dá orgulho a Tião, aos 32 anos de idade, já foi motivo de
3     vergonha. Ele começou a catar lixo com onze anos, com a
4     família. "Para mim, catar lixo era natural", diz. Para os outros,
5     não. Sua mãe deu uma entrevista e ele passou a ser perseguido
6     pelos colegas da escola. No dia seguinte ao da entrevista,
7     chegou à sala de aula e viu escrito na lousa: "Tião, filho da
8     xepeira", uma referência à xepa, prática de pegar os restos de
9     feiras para levar para casa. Em uma festa da escola, Tião
10    dançava com a namoradinha, quando um menino anunciou pelo
11    microfone: "Olha, ela está dançando com o filho da xepeira."
12    Humilhado, Tião saiu da festa correndo. Saiu também da
13    escola. Ficou cinco anos sem estudar. Agora cursa o
14    segundo ano do ensino médio. Seu sonho é cursar sociologia.
15    No documentário Lixo Extraordinário, Tião diz que
16    gosta de Nietzsche e Maquiavel. Ele encontrou um exemplar de
17    O Príncipe, de Maquiavel, no meio do chorume do aterro.
18    Depois de ler, ficou comparando os príncipes descritos por
19    Maquiavel com líderes do tráfico. Ele conta que a obra foi
20    fundamental quando estava começando sua própria liderança.
21    Depois da indicação ao Oscar, ele acha que sua voz vai chegar
22    muito mais longe que os trezentos metros quadrados do galpão
23    sufocante da associação dos catadores. "Quem nunca teve voz
24    agora vai ter, agora vão nos ouvir", diz ele.

Sebastião Carlos dos Santos. Do lixo ao Oscar.
In: Época, 31/1/2011, p. 12 (com adaptações).

Com referência às ideias do texto acima e às estruturas nele empregadas, julgue o(s) item(ns) seguinte(s).

1 -

Nos trechos “chegou à sala de aula” (L.7) e “uma referência à xepa” (L.8), o emprego do sinal indicativo de crase, opcional em ambos os casos, justifica-se pela regência, respectivamente, da forma verbal “chegou” e do substantivo “referência”.

Certa.
Errada.
2 -

O trecho “prática de pegar os restos de feiras para levar para casa” (L.8-9) é uma expressão apositiva empregada para explicar o termo “xepa” (L.8).

Certa.
Errada.
3 -

No trecho “descritos por Maquiavel” (L.18-19), a expressão “por Maquiavel” designa o agente da ação expressa pela forma nominal “descritos”.

Certa.
Errada.
4 -

Sem prejuízo para a correção gramatical, o trecho “mais longe que os trezentos metros” (L.22), no qual se estabelece relação de comparação, admite a seguinte reescrita: mais longe do que os trezentos metros.

Certa.
Errada.
5 -

Pelas relações de sentido que se estabelecem no texto, subentende-se, no trecho “Para os outros, não” (L.4-5), a retomada, por coesão, do enunciado ‘catar lixo era natural’ (L.4).

Certa.
Errada.

O grito árabe pela democracia

1     A possibilidade de alguém sair às ruas do Cairo para
2     protestar contra o presidente Hosni Mubarak em 1998, ano em
3     que o jornalista norte-americano de origem egípcia Abdalla
4     Hassan se mudou para a cidade, era, nas palavras dele,
5     "simplesmente impensável". "No máximo, culpava-se o
6     primeiro-ministro, jamais o presidente", disse Hassan,
7     enquanto os protestos se espalhavam pelas ruas da capital
8     egípcia. Seu depoimento dá a dimensão do medo imposto pelo
9     ditador, que permaneceu 30 anos no poder - e quão
10    espetaculares e inesperados foram os eventos no Cairo e em
11    cidades como Suez e Alexandria. Multidões sublevadas saíram
12    pelas ruas clamando por melhores condições de vida, emprego
13    e, sobretudo, pelo fim do regime de Mubarak. Para deter as
14    manifestações, o ditador desativou a Internet, cortou a telefonia
15    celular e ocupou estações de rádio e TV. Decretou toque de
16    recolher. Não adiantou. Os protestos continuaram. A semana
17    terminou sem que estivesse claro o futuro político do maior
18    aliado dos Estados Unidos da América (EUA) no mundo árabe.
19    Se Mubarak caísse, o que viria em seu lugar - uma
20    democracia moderna ou uma teocracia islâmica como a do Irã?
21    A resposta a essa pergunta é crucial para toda a região.

Juliano Machado e Letícia Sorg. O grito árabe
pela democracia. In: Época, 31/1/2011, p. 32 (com adaptações).

Considerando as ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue o(s) próximo(s) item(ns).

6 -

No desenvolvimento da argumentação do texto, a oração “sem que estivesse claro o futuro político do maior aliado dos Estados Unidos da América (EUA)” (L.17-18) expressa circunstância de causa em relação à oração que a antecede.

Certa.
Errada.
7 -

No trecho “Se Mubarak caísse, o que viria em seu lugar” (L.19), estaria mantida a correção gramatical do texto caso se substituíssem as formas verbais “caísse” e “viria” por cair e virá, respectivamente.

Certa.
Errada.
8 -

Depreende-se do texto que o regime sob o qual viveram os egípcios durante as manifestações mencionadas, apesar de não ser considerado moderno, era mais democrático que o governo existente em 1998.

Certa.
Errada.
9 -

Subentende-se da argumentação apresentada no texto que as sublevações da população decorreram de pressão religiosa oculta contrária ao apoio político oferecido pelos EUA ao Egito.

Certa.
Errada.
10 -

No trecho “enquanto os protestos se espalhavam pelas ruas da capital egípcia” (L.7-8), a próclise do pronome “se” justifica-se pela natureza subordinada da oração, explicitada pela conjunção temporal “enquanto”.

Certa.
Errada.

« anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 próxima »

Marcadores

Marcador Verde Favorita
Marcador Azul Dúvida
Marcador Amarelo Acompanhar
Marcador Vermelho Polêmica
Marcador Laranja  Adicionar

Meus Marcadores

Fechar
⇑ TOPO
Salvar Texto Selecionado

CONECTE-SE

Facebook
Twitter
E-mail

Copyright © Tecnolegis - 2010 - 2019 - Todos os direitos reservados.