ACESSE GRATUITAMENTE + DE 290.000 QUESTÕES DE CONCURSOS!

Informações da Prova Questões por Disciplina Downloads Corpo de Bombeiros - Distrito Federal - Bombeiro Militar Geral - Condutor e Operador de Viaturas - CESPE - UnB - 2011 - Prova Objetiva

Companhia das letras

1                        No meio da massa compacta de pedestres que se
           movia lentamente pela calçada como um miriápode gigante,
          o homem tinha a impressão de que não eram as pessoas que
4        andavam, mas que suas pernas pertenciam, na verdade, a esse
          grande animal urbano que se arrasta pesadamente pelas ruas
          das grandes cidades. A situação, contudo, não o desagradava.
7        Gostava de multidão, apenas não considerava aquele o
          momento mais adequado para usufruir dela. Às seis e meia da
          tarde tinha que estar no bar defronte à 12.ª DP, na rua Hilário
10      de Gouveia, e já passava das seis. Com o movimento de
          pedestres em qualquer outra hora do dia não haveria problema,
          mas com o trânsito nas calçadas àquela hora da tarde na
13      avenida Copacabana, as pessoas saindo do trabalho e o
          movimento ainda intenso do comércio, a morosidade com que
           a multidão se deslocava impedia toda pressa. Estava a ponto de
16      procurar um trajeto mais livre quando algum sinal de trânsito
          mais à frente liberou o fluxo de pessoas e o bloco ganhou um
          pouco mais de mobilidade.

          Luiz Alfredo Garcia-Roza. Na multidão. São Paulo: Companhia das Letras, 2007, p. 20.

 
1 -

Julgue o(s) item(ns) que se segue(m), relativos ao texto acima.

No trecho “o homem tinha a impressão de que não eram as pessoas que andavam” (L.3-4), o vocábulo “que” exerce a mesma função sintática em ambas as ocorrências.

Certa.
Errada.
2 -

Julgue o(s) item(ns) que se segue(m), relativos ao texto acima.

No trecho “A situação, contudo, não o desagradava” (L.6), o pronome “o” refere-se à expressão “esse grande animal urbano” (L.4-5).

Certa.
Errada.
3 -

Julgue o(s) item(ns) que se segue(m), relativos ao texto acima.

A oração “para usufruir dela” (L.8) introduz, no período, a consequência do fato expresso na oração que a antecede.

Certa.
Errada.
4 -

Julgue o(s) item(ns) que se segue(m), relativos ao texto acima.

No trecho “a morosidade com que a multidão se deslocava impedia toda pressa” (L.14-15), a correção gramatical seria mantida caso se substituísse “com que” por na qual.

Certa.
Errada.
5 -

Julgue o(s) item(ns) que se segue(m), relativos ao texto acima.

As relações de sentido que se estabelecem no texto permitem concluir que o termo “bloco” (L.17) retoma os referentes “massa compacta de pedestres” (L.1) e “multidão” (L.7).

Certa.
Errada.
6 -

Julgue o(s) item(ns) que se segue(m), relativos ao texto acima.

Predominantemente dissertativo, o texto apresenta a seguinte tese implícita: a dificuldade do trânsito de pessoas nas grandes cidades.

Certa.
Errada.

Raizes do Brasil

                        Nas formas de vida coletiva, podem assinalar-se dois
           princípios que se combatem e que regulam diversamente as
           atividades dos homens. Esses dois princípios encarnam-se
4         nos tipos do aventureiro e do trabalhador. Já nas sociedades
           rudimentares, manifestam-se eles, segundo sua predominância,
           na distância fundamental entre os povos caçadores ou coletores
7         e os povos lavradores.
                         Para uns, o objeto final, a mira de todo esforço, o
           ponto de chegada, assume relevância tão capital, que chega a
10      dispensar, por secundários, quase supérfluos, todos os
           processos intermediários. Seu ideal será colher o fruto sem
           plantar a árvore. Esse tipo humano ignora as fronteiras. No
13       mundo, tudo se apresenta a ele em generosa amplitude e, onde
           quer que se erija um obstáculo a seus propósitos ambiciosos,
           sabe transformar esse obstáculo em trampolim. Vive dos
16       espaços ilimitados, dos projetos vastos, dos horizontes
           distantes.
                          O trabalhador, ao contrário, é aquele que enxerga,
19       primeiro, a dificuldade a vencer, não o triunfo a alcançar.
           O esforço lento, pouco compensador e persistente, que, no
           entanto, mede todas as possibilidades de desperdício e sabe
22       tirar o máximo proveito do insignificante, tem sentido bem
           nítido para ele. Seu campo visual é naturalmente restrito.
           A parte maior do que o todo.
25                       Existe uma ética do trabalho, como existe uma ética
           da aventura. Assim, o indivíduo do tipo trabalhador só atribuirá
           valor moral positivo às ações que sente ânimo de praticar e,
28       inversamente, terá por imorais e detestáveis as qualidades
           próprias do aventureiro.
                             Por outro lado, as energias e os esforços que se
31       dirigem a uma recompensa imediata são enaltecidos pelos
           aventureiros; as energias que visam à estabilidade, à paz, à
           segurança pessoal e os esforços sem perspectiva de rápido
34       proveito material passam, ao contrário, por viciosos e
           desprezíveis para eles.
                        Entre esses dois tipos não há, em verdade, tanto uma
37      oposição absoluta quanto uma incompreensão radical. Ambos
           participam, em maior ou menor grau, de múltiplas combinações
           e é claro que, em estado puro, nem o aventureiro nem o
40       trabalhador possuem existência real fora do mundo das ideias.
           Mas também não há dúvida de que os dois conceitos nos
           ajudam a situar e a melhor ordenar nosso conhecimento dos
43       homens e dos conjuntos sociais. E é precisamente nessa
           extensão superindividual que eles assumem importância
            inestimável para o estudo da formação e evolução das
46       sociedades.

               Sérgio Buarque de Holanda. Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1993, p. 13-4 (com adaptações).

7 -

A respeito das ideias apresentadas no texto de Sérgio Buarque de Holanda e da sua tipologia textual, julgue o(s) item(ns) que se segue(m).

Depreende-se do texto que a atribuição de valores morais às características particulares dos tipos humanos se conforma à ética do trabalho e à ética da aventura.

Certa.
Errada.
8 -

A respeito das ideias apresentadas no texto de Sérgio Buarque de Holanda e da sua tipologia textual, julgue o(s) item(ns) que se segue(m).

De acordo com o autor, as características do tipo trabalhador e do tipo aventureiro devem ser superadas porque correspondem a tipos humanos de sociedades rudimentares.

Certa.
Errada.
9 -

A respeito das ideias apresentadas no texto de Sérgio Buarque de Holanda e da sua tipologia textual, julgue o(s) item(ns) que se segue(m).

Infere-se do texto que algumas sociedades contemporâneas refletem falta de planejamento, ausência de progresso tecnológico e baixo nível de produção por terem-se originado de sociedades nômades incapazes de trabalhar.

Certa.
Errada.
10 -

A respeito das ideias apresentadas no texto de Sérgio Buarque de Holanda e da sua tipologia textual, julgue o(s) item(ns) que se segue(m).

Segundo o autor, o estabelecimento de fronteiras tornou-se obstáculo para a forma de vida coletiva que priorizava o trabalho realizado com planejamento e perspectiva de proveito material.

Certa.
Errada.

« anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 próxima »

Marcadores

Marcador Verde Favorita
Marcador Azul Dúvida
Marcador Amarelo Acompanhar
Marcador Vermelho Polêmica
Marcador Laranja  Adicionar

Meus Marcadores

Fechar
⇑ TOPO
Salvar Texto Selecionado

CONECTE-SE

Facebook
Twitter
E-mail

Copyright © Tecnolegis - 2010 - 2019 - Todos os direitos reservados.