ACESSE GRATUITAMENTE + DE 450.000 QUESTÕES DE CONCURSOS!

Informações da Prova Questões por Disciplina Downloads TRT - 2.ª Região - Analista Judiciário - Administrativa - FCC - Fundação Carlos Chagas - 2008 - Prova Objetiva

Da timidez

Ser um tímido notório é uma contradição. O tímido tem horror a ser notado, quanto mais a ser notório. Se ficou notório por ser tímido, então tem que se explicar. Afinal, que retumbante timidez é essa, que atrai tanta atenção? Se ficou notório apesar de ser tímido, talvez estivesse se enganando junto com os outros e sua timidez seja apenas um estratagema para ser notado. Tão secreto que nem ele sabe. É como no paradoxo psicanalítico: só alguém que se acha muito superior procura o analista para tratar um complexo de inferioridade, porque só ele acha que se sentir inferior é doença.

Todo mundo é tímido, os que parecem mais tímidos são apenas os mais salientes. Defendo a tese de que ninguém é mais tímido do que o extrovertido. O extrovertido faz questão de chamar atenção para sua extroversão, assim ninguém descobre sua timidez. Já no notoriamente tímido a timidez que usa para disfarçar sua extroversão tem o tamanho de um carro alegórico. Segundo minha tese, dentro de cada Elke Maravilha* existe um tímido tentando se esconder, e dentro de cada tímido existe um exibido gritando: "Não me olhem! Não me olhem!", só para chamar a atenção.

O tímido nunca tem a menor dúvida de que, quando entra numa sala, todas as atenções se voltam para ele e para sua timidez espetacular. Se cochicham, é sobre ele. Se riem, é dele. Mentalmente, o tímido nunca entra num lugar. Explode no lugar, mesmo que chegue com a maciez estudada de uma noviça. Para o tímido, não apenas todo mundo mas o próprio destino não pensa em outra coisa a não ser nele e no que pode fazer para embaraçá-lo.

* Atriz de TV muito extrovertida, identificada pela maquiagem e roupas extravagantes.

(Luís Fernando Veríssimo, Comédias para se ler na escola)

 

1 -

Na abordagem da timidez, o autor se vale de contradições e paradoxos para demonstrar que:

a)

o comportamento dos extrovertidos revela seu desejo de serem notados.

b)

as atitudes de um tímido derivam de seu complexo de superioridade.

c)

a timidez e a extroversão não podem ser claramente distinguidas.

d)

o tímido opõe-se ao extrovertido porque assim ninguém o reconhece.

e)

os extrovertidos são habitualmente reconhecidos como tímidos notórios.

2 -

Considerando-se o contexto do primeiro parágrafo, deduz-se da frase só ele acha que se sentir inferior é doença que, na opinião do autor: 

a) a timidez leva ao complexo de inferioridade.
b) o sentimento de inferioridade não é uma anomalia.
c) o complexo de inferioridade não tem tratamento.
d) o sentimento de inferioridade é próprio dos tímidos.
e) a timidez é um disfarce para os muito extrovertidos.
3 -

Reconhece-se como em si mesma paradoxal a seguinte expressão do texto:

a) retumbante timidez.
b) Todo mundo é tímido.
c) maciez estudada.
d) tem horror a ser notado.
e) faz questão de chamar atenção.
4 -

As normas de concordância verbal estão plenamente respeitadas em:

a) Costumam haver nas pessoas extrovertidas traços marcantes de timidez.
b) Não se devem imputar aos muito tímidos a culpa por sua notoriedade.
c) Não deixam de ocorrer a um tímido as vantagens de sua timidez.
d) Interessam a certos extrovertidos encobrir aspectos de sua timidez.
e) O fato de serem tímidas não impossibilitam as pessoas de serem notadas.
5 -

Transpondo-se para a voz passiva o segmento ninguém descobre sua timidez, a forma verbal resultante será:

a) não terá descoberto.
b) não será descoberta.
c) não terá sido descoberta.
d) não é descoberta.
e) não tem descoberto.
6 -

Na frase Se ficou notório apesar de ser tímido, talvez estivesse se enganando junto com os outros (...), o segmento sublinhado pode ser substituído, sem prejuízo para o sentido e a correção, por:

a) tendo em vista a timidez.
b) não obstante a timidez.
c) em razão da timidez.
d) inclusive a timidez.
e) conquanto a timidez.
7 -

Está clara e correta a redação do seguinte comentário sobre o texto:

a) É notório que o autor do texto seja um tímido, onde se conclui de que ele está falando com o autoritarismo de sua própria experiência.
b) Não se deve vexar os tímidos por sua timidez, porque mesmo os extrovertidos, segundo o autor, não deixam também de ser assim.
c) Mesmo uma Elke Maravilha, afirma o autor, portará consigo um lado de timidez, por conta das extroversões em cujas se fez notória.
d) Faz parte do humor do texto a controvérsia que o complexo de inferioridade implica em que, no fundo, trata-se de seu oposto.
e) Nem todos concordarão com as teses do autor, mesmo porque um humorista não escreve com o fito de estabelecer verdades incontroversas.
8 -

Atente para as seguintes frases:

I. Não é possível estabelecer à medida que distancia um notório tímido de um notório extrovertido.

II. Não assiste às pessoas extrovertidas o privilégio exclusivo de se fazerem notar; também as tímidas chamam a atenção.

III. Ainda que com isso não se sintam à vontade, os tímidos costumam captar a atenção de todos.

Justifica-se o uso do sinal de crase SOMENTE em:

a) II e III.
b) I e II.
c) I e III.
d) I.
e) III.

Duas Linguagens

Na minha juventude, tive um grande amigo que era estudante de Direito. Ele questionava muito sua vocação para os estudos jurídicos, pois também alimentava enorme interesse por literatura, sobretudo pela poesia, e não achava compatíveis a linguagem de um código penal e a freqüentada pelos poetas. Apesar de reconhecer essa diferença, eu o animava, sem muita convicção, lembrando-lhe que grandes escritores tinham formação jurídica, e esta não lhes travava o talento literário.

Outro dia reencontrei-o, depois de muitos anos. É juiz de direito numa grande comarca, e parece satisfeito com a profissão. Hesitei em lhe perguntar sobre o gosto pela poesia, e ele, parecendo adivinhar, confessou que havia publicado alguns livros de poemas – “inteiramente despretensiosos”, frisou. Ficou de me mandar um exemplar do último, que havia lançado recentemente.

Hoje mesmo recebi o livro, trazido em casa por um amigo comum. Os poemas são muito bons; têm uma secura de estilo que favorece a expressão depurada de finos sentimentos. Busquei entrever naqueles versos algum traço bacharelesco, alguma coisa que lembrasse a linguagem processual. Nada. Não resisti e telefonei ao meu amigo, perguntando-lhe como conseguiu elidir tão completamente sua formação e sua vida profissional, freqüentando um gênero literário que costuma impelir ao registro confessional. Sua resposta:

Meu caro, a objetividade que tenho de ter para julgar os outros comunica-se com a objetividade com que busco tratar minhas paixões. Ser poeta é afinar palavra justas e precisos sentimentos. Justeza e justiça podem ser irmãs.

E eu que nunca tinha pensado nisso...

(Ariovaldo Cerqueira, inédito)

9 -

O argumento em favor da plena compatibilidade entre a linguagem da poesia e a das práticas jurídicas está formulado na seguinte frase:

a)

É juiz de direito numa grande comarca, e parece satisfeito com a profissão.

b)

Apesar de reconhecer essa diferença, eu o animava, sem muita convicção (...)

c)

(...) têm uma secura de estilo que favorece a expressão depurada de finos sentimentos.

d)

(...) conseguiu elidir tão completamente sua formação e sua vida profissional (...)

e)

Justeza e justiça podem ser irmãs.

10 -

Considerando-se o contexto, traduz-se corretamente o sentido de um segmento do texto em:

a) não lhes travava o talento = não ia ao encontro de seu potencial.
b) “inteiramente despretensiosos”, frisou = “em nada intencionais”, aludiu.
c) têm uma secura de estilo = manifestam uma esterilidade.
d) como conseguiu elidir = como logrou obliterar.
e) impelir ao registro confessional = demover o plano das confissões.

« anterior 1 2 3 4 5 6 próxima »

Marcadores

Marcador Verde Favorita
Marcador Azul Dúvida
Marcador Amarelo Acompanhar
Marcador Vermelho Polêmica
Marcador Laranja  Adicionar

Meus Marcadores

Fechar
⇑ TOPO
Salvar Texto Selecionado

CONECTE-SE

Facebook
Twitter
E-mail

Copyright © Tecnolegis - 2010 - 2019 - Todos os direitos reservados.