ACESSE GRATUITAMENTE + DE 450.000 QUESTÕES DE CONCURSOS!

Informações da Prova Questões por Disciplina Downloads Polícia Civil - Piauí - Delegado de Polícia - UESPI (Universidade Estadual do Piauí) - 2014 - Prova Objetiva

Ordem ou Barbárie

O fenômeno da violência é tão antigo quanto o ser humano. Desde sua criação (ou surgimento, dependendo do ponto de vista), o homem sempre esteve dividido entre razão e instinto, paz e guerra, bem e mal.

Há quem tente explicar a violência, a opção pela criminalidade, como consequência da pobreza, da falta de oportunidades: o homem fruto de seu meio. Sem poder fazer as próprias escolhas, destituído de livre-arbítrio, o indivíduo seria condenado por sua origem humilde à condição de bandido. Mas acaso a virtude é monopólio de ricos e remediados? Creio que não.

Na propaganda institucional, a pobreza no Brasil diminuiu, o poder de compra está em alta, o desemprego praticamente desapareceu... Mas, se a violência tem relação direta com a pobreza, como explicar que a criminalidade tenha crescido em igual ou maior proporção que a renda do brasileiro? Criminalidade e pobreza não andam necessariamente de mãos dadas.

Na semana passada, a violência (ou a falta de segurança) voltou ao centro dos debates. O flagrante de um jovem criminoso nu, preso a um poste por um grupo de justiceiros deu início a um turbilhão de comentários polêmicos. Em meu espaço de opinião no jornal "SBT Brasil", afirmei compreender (e não aceitar, que fique bem claro!) a atitude desesperada dos justiceiros do Rio.

(...)

Não é de hoje que o cidadão se sente desassistido pelo Estado e vulnerável à ação de bandidos. (...) Estamos entre os 20 países mais violentos do planeta. E, apesar das estatísticas, em matéria de ações de segurança pública, estamos praticamente inertes e, pior: na contramão do bom senso!

(...)

No Brasil de valores esquizofrênicos, pode-se matar um cidadão e sair impune. Mas a lei não perdoa quem destrói um ninho de papagaio. É cadeia na certa!

(...)

Quando falta sensatez ao Estado é que ganham força outros paradoxos. Como jovens acuados pela violência que tomam para si o papel da polícia e o dever da Justiça. Um péssimo sinal de descontrole social. É na ausência de ordem que a barbárie se torna lei.

(Rachel Sheherazade - jornal Folha de São Paulo, 11 de fevereiro de 2014)

1 -

A frase do texto que, de forma mais completa e adequada, resume o ponto de vista defendido pela autora, sobre o tema discutido, é

a)

O fenômeno da violência é tão antigo quanto o ser humano.

b)

O homem fruto de seu meio.

c)

É na ausência de ordem que a barbárie se torna lei.

d)

Na propaganda institucional, a pobreza no Brasil diminuiu.

e)

No Brasil de valores esquizofrênicos, pode-se matar um cidadão e sair impune.

2 -

Quando falamos ou escrevemos, é comum explicitarmos com palavras, frases, expressões, o nosso posicionamento quanto àquilo que desejamos transmitir aos nossos interlocutores. No texto acima, a subjetividade da autora sobre o assunto tratado é verificada em

a)

o homem sempre esteve dividido entre razão e instinto, paz e guerra, bem e mal.

b)

Mas acaso a virtude é monopólio de ricos e remediados? Creio que não.

c)

Na semana passada, a violência (ou a falta de segurança) voltou ao centro dos debates.

d)

Estamos entre os 20 países mais violentos do planeta.

e)

pode-se matar um cidadão e sair impune.

3 -

Em: Criminalidade e pobreza não andam necessariamente de mãos dadas., a palavra necessariamente poderia ser substituída, sem prejuízo para o sentido do que é dito por

a)

possivelmente.

b)

totalmente.

c)

praticamente.

d)

obrigatoriamente.

e)

naturalmente.

4 -

No texto, a autora sugere admitir

a)

que a pobreza indiscutivelmente é o fator determinante para o desencadeamento da violência.

b)

que a violência só existe, em grande escala, em virtude de o homem estar dividido entre o bem e o mal.

c)

que não deve ser punido quem destrói um ninho de papagaio.

d)

que, no caso da atitude desesperada dos justiceiros do Rio, não haveria algo diferente a ser feito.

e)

que a violência de hoje e de sempre não pode ser justificada apenas pelo fato de o homem ser fruto de seu meio.

5 -

Nas opções abaixo, aquela cuja palavra ou expressão destacada NÃO sugere ideia de tempo é

a)

Desde sua criação (ou surgimento, dependendo do ponto de vista).

b)

quem tente explicar a violência, a opção pela criminalidade.

c)

Na semana passada, a violência (ou a falta de segurança) voltou ao centro dos debates.

d)

Não é de hoje que o cidadão se sente desassistido pelo Estado.

e)

Quando falta sensatez ao Estado é que ganham força outros paradoxos.

6 -

A opção em que o segmento destacado na palavra, do ponto de vista de sua forma, é o mesmo que se verifica em: na contramão do bom senso!, é

a)

o desemprego praticamente desapareceu...

b)

como explicar que a criminalidade tenha crescido.

c)

Mas acaso a virtude é monopólio de ricos e remediados?

d)

como explicar que a criminalidade tenha crescido em igual ou maior proporção que a renda do brasileiro?

e)

vulnerável à ação de bandidos.

7 -

A palavra destacada em: deu início a um turbilhão de comentários polêmicos., presta-se a estabelecer algum atributo, qualificação àquela que a antecede. Uma relação diferente dessa é verificada na palavra em destaque, em

a)

seria condenado por sua origem humilde à condição de bandido.

b)

Na propaganda institucional, a pobreza no Brasil diminuiu.

c)

a atitude desesperada dos justiceiros do Rio.

d)

Um péssimo sinal de descontrole social.

e)

Um péssimo sinal de descontrole social.

8 -

No texto, verificamos sequências tais como: Na semana passada, a violência (ou a falta de segurança) voltou ao centro dos debates. Neste trecho, em especial, o segmento que se encontra entre parênteses sugere, textualmente

a)

uma correção que fecha qualquer outra possibilidade de interpretação do que foi dito antes.

b)

uma retificação necessária à argumentação que se seguirá

c)

uma reformulação que denota controle da comunicação por parte do autor do texto.

d)

uma forma de ratificar o seu pensamento em favor de uma linha única de argumentação.

e)

uma forma de resumir todo um pensamento anterior e adequar o seu discurso ao contexto.

9 -

A opção em que a palavra destacada encontra-se em sentido figurado ou conotativo é

a)

se a violência tem relação direta com a pobreza, como explicar que a criminalidade tenha crescido em igual ou maior proporção que a renda do brasileiro?

b)

o indivíduo seria condenado por sua origem humilde à condição de bandido.

c)

afirmei compreender (e não aceitar, que fique bem claro!) a atitude desesperada dos justiceiros do Rio.

d)

deu início a um turbilhão de comentários polêmicos.

e)

Criminalidade e pobreza não andam necessariamente de mãos dadas.

10 -

Considerando os aspectos gramaticais, julgue as opções abaixo e assinale aquela que contém uma afirmação CORRETA.

a)

Em: Há quem tente explicar a violência, a opção pela criminalidade, como consequência da pobreza, da falta de oportunidades: verifica-se uma incorreção relacionada à concordância gramatical em falta de oportunidades.

b)

Em: se a violência tem relação direta com a pobreza, a palavra destacada poderia, sem alteração de sentido, ser substituída pela expressão já que.

c)

Em: o homem sempre esteve dividido entre razão e instinto, paz e guerra, bem e mal, constatamos um uso incorreto da vírgula logo após a palavra instinto.

d)

Em: Não é de hoje que o cidadão se sente desassistido pelo Estado e vulnerável à ação de bandidos., o uso do acento grave, indicador de crase, em à ação é facultativo.

e)

No trecho: como explicar que a criminalidade tenha crescido em igual ou maior proporção que a renda do brasileiro?, o segmento destacado confere ao contexto uma relação de causalidade.

« anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 próxima »

Marcadores

Marcador Verde Favorita
Marcador Azul Dúvida
Marcador Amarelo Acompanhar
Marcador Vermelho Polêmica
Marcador Laranja  Adicionar

Meus Marcadores

Fechar
⇑ TOPO
Salvar Texto Selecionado

CONECTE-SE

Facebook
Twitter
E-mail

Copyright © Tecnolegis - 2010 - 2019 - Todos os direitos reservados.