ACESSE GRATUITAMENTE + DE 450.000 QUESTÕES DE CONCURSOS!

Informações da Prova Questões por Disciplina Downloads Enem - Exame Nacional do Ensino Médio - Vestibular - Prova 2 - Linguagens, Matemática, Códigos e suas Tecnologias - ENEM - INEP - MEC - 2014 - 2.º dia - (questões 91 a 180)

1 -

(91)

A Tall Order

The sky isn’t the limit for an architect building the world’s first invisible skyscraper.

Charles Wee, one of the world's leading high-rise architects, has a confession to make: he's bored with skyscrapers. After designing more than 30, most of which punctuate the skylines of rapidly expanding Asian cities, he has struck upon a novel concept: the first invisible skyscraper.

As the tallest structure in South Korea, his Infinity Tower will loom over Seoul until somebody pushes a button and it completely disappears.

When he entered a 2004 competition to design a landmark tower, the Korean-American architect rejected the notion of competing with Dubai, Toronto, and Shanghai to reach the summit of man-made summits. "“I thought, let's not jump into this stupid race to build another ‘'tallest'’ tower",” he says in a phone conversation. "“Let's take an opposite approach — let's make an anti-tower".”

The result will be a 150-story building that fades from view at the flick of a switch. The tower will effectively function as an enormous television screen, being able to project an exact replica of whatever is happening behind it onto its façade. To the human eye, the building will appear to have melted away.

It will be the most extraordinary achievement of Wee's stellar architectural career. After graduating from UCLA, he worked under Anthony Lumsden, a prolific Californian architect who helped devise the modern technique of wrapping buildings inside smooth glass skins.

HINES, N. Disponível em: http://mag.newsweek.com. Acesso em: 13 out. 2013 (adaptado).

No título e no subtítulo desse texto, as expressões A Tall Order e The sky isn’t the limit são usadas para apresentar uma matéria cujo tema é:

a)

Inovações tecnológicas usadas para a construção de um novo arranha-céu em Seul.

b)

Confissões de um arquiteto que busca se destacar na construção de arranha-céus.

c)

Técnicas a serem estabelecidas para a construção de edifícios altos na Califórnia.

d)

Competição entre arquitetos para a construção do edifício mais alto do mundo

e)

Construção de altas torres de apartamentos nas grandes metrópoles da Ásia.

2 -

(92)

Masters of War

Come you masters of war
You that build all the guns
You that build the death planes
You that build all the bombs
You that hide behind walls
You that hide behind desks
I just want you to know
I can see through your masks.

You that never done nothin’
But build to destroy
You play with my world
Like it’s your little toy
You put a gun in my hand
And you hide from my eyes
And you turn and run farther
When the fast bullets fly.

Like Judas of old
You lie and deceive
A world war can be won
You want me to believe
But I see through your eyes
And I see through your brain
Like I see through the water
That runs down my drain.

BOB DYLAN. The Freewheelin’ Bob Dylan. Nova York: Columbia Records, 1963 (fragmento)

Na letra da canção Masters of War, há questionamentos e reflexões que aparecem na forma de protesto contra

 

a)

o envio de jovens à guerra para promover a expansão territorial dos Estados Unidos.

b)

o comportamento dos soldados norte-americanos nas guerras de que participaram.

c)

o sistema que recruta soldados para guerras motivadas por interesses econômicos.

d)

o desinteresse do governo pelas famílias dos soldados mortos em campos de batalha.

e)

as Forças Armadas norte-americanas, que enviavam homens despreparados para as guerras.

3 -

(93)

The Road Not Taken (by Robert Frost)

Two roads diverged in a wood, and I —

I took the one less traveled by,

And that has made all the difference.

Disponível em: www.poetryfoundation.org. Acesso em: 29 nov. 2011 (fragmento).

Estes são os versos finais do famoso poema The Road Not Taken, do poeta americano Robert Frost. Levando-se em consideração que a vida é comumente metaforizada como uma viagem, esses versos indicam que o autor

a)

festeja o fato de ter sido ousado na escolha que fez em sua vida.

b)

lamenta por ter sido um viajante que encontrou muitas bifurcações.

c)

viaja muito pouco e que essa escolha fez toda a diferença em sua vida.

d)

reconhece que as dificuldades em sua vida foram todas superadas.

e)

percorre várias estradas durante as diferentes fases de sua vida.

4 - (94)

Disponível em: http://wefeedback.org. Acesso em: 30 jul. 2012.

A internet tem servido a diferentes interesses, ampliando, muitas vezes, o contato entre pessoas e instituições. Um exemplo disso é o site WeFeedback, no qual a internauta Kate Watts

a)

comprou comida em promoção.

b)

inscreveu-se em concurso.

c)

fez doação para caridade.

d)

participou de pesquisa de opinião.

e)

voluntariou-se para trabalho social.

5 -

(95)

If You Can’t Master English, Try Globish

PARIS — It happens all the time: during an airport delay the man to the left, a Korean perhaps, starts talking to the man opposite, who might be Colombian, and soon they are chatting away in what seems to be English. But the native English speaker sitting between them cannot understand a word.

They don't know it, but the Korean and the Colombian are speaking Globish, the latest addition to the 6,800 languages that are said to be spoken across the world. Not that its inventor, Jean-Paul Nerrière, considers it a proper language.

"“It is not a language, it is a tool,"” he says. "“A language is the vehicle of a culture. Globish doesn't want to be that at all. It is a means of communication."”

Nerrière doesn't see Globish in the same light as utopian efforts such as Kosmos, Volapuk, Novial or staunch Esperanto. Nor should it be confused with barbaric Algol (for Algorithmic language). It is a sort of English lite: a means of simplifying the language and giving it rules so it can be understood by all.

BLUME, M. Disponível em: www.nytimes.com. Acesso em: 28 out. 2013 (fragmento).

Considerando as ideias apresentadas no texto, o Globish (Global English) é uma variedade da língua inglesa que

a)

tem status de língua por refletir uma cultura global.

b)

facilita o entendimento entre o falante nativo e o não nativo.

c)

tem as mesmas características de projetos utópicos como o esperanto.

d)

altera a estrutura do idioma para possibilitar a comunicação internacional.

e)

apresenta padrões de fala idênticos aos da variedade usada pelos falantes nativos.

6 -

(97)

TEXTO I

Seis estados zeram fila de espera para transplante da córnea

Seis estados brasileiros aproveitaram o aumento no número de doadores e de transplantes feitos no primeiro semestre de 2012 no país e entraram para uma lista privilegiada: a de não ter mais pacientes esperando por uma córnea.

Até julho desse ano, Acre, Distrito Federal, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Norte e São Paulo eliminaram a lista de espera no transplante de córneas, de acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, no Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos. Em 2011, só São Paulo e Rio Grande do Norte conseguiram zerar essa fila.

TEXTO II

A notícia e o cartaz abordam a questão da doação de órgãos. Ao relacionar os dois textos, observa-se que o cartaz é

a)

contraditório, pois a notícia informa que o país superou a necessidade de doação de órgãos.

b)

complementar, pois a notícia diz que a doação de órgãos cresceu e o cartaz solicita doações.

c)

redundante, pois a notícia e o cartaz têm a intenção de influenciar as pessoas a doarem seus órgãos.

d)

indispensável, pois a notícia fica incompleta sem o cartaz, que apela para a sensibilidade das pessoas.

e)

discordante, pois ambos os textos apresentam posições distintas sobre a necessidade de doação de órgãos.

7 -

(97)

O boxe está perdendo cada vez mais espaço para um fenômeno relativamente recente do esporte, o MMA. E o maior evento de Artes Marciais Mistas do planeta é o Ultimate Fighting Championship, ou simplesmente UFC. O ringue, com oito cantos, foi desenhado para deixar os lutadores com mais espaço para as lutas. Os atletas podem usar as mãos e aplicar golpes de jiu-jitsu. Muitos podem falar que a modalidade é uma espécie de vale- tudo, mas isso já ficou no passado: agora, a modalidade tem regras e acompanhamento médico obrigatório para que o esporte apague o estigma negativo.

CORREIA, D. UFC: saiba como o MMA nocauteou o boxe em oito golpes. Veja, 10 jun. 2011 (fragmento).

O processo de modificação das regras do MMA retrata a tendência de redimensionamento de algumas práticas corporais, visando enquadrá-las em um determinado formato. Qual o sentido atribuído a essas transformações incorporadas historicamente ao MMA?

a)

A modificação das regras busca associar valores lúdicos ao MMA, possibilitando a participação de diferentes populações como atividade de lazer.

b)

As transformações do MMA aumentam o grau de violência das lutas, favorecendo a busca de emoções mais fortes tanto aos competidores como ao público.

c)

As mudanças de regras do MMA atendem à necessidade de tornar a modalidade menos violenta, visando sua introdução nas academias de ginástica na dimensão da saúde.

d)

As modificações incorporadas ao MMA têm por finalidade aprimorar as técnicas das diferentes artes marciais, favorecendo o desenvolvimento da modalidade enquanto defesa pessoal.

e)

As transformações do MMA visam delimitar a violência das lutas, preservando a integridade dos atletas e enquadrando a modalidade no formato do esporte de espetáculo.

8 -

(98)

Uso de suplementos alimentares por adolescentes

Evidências médicas sugerem que a suplementação alimentar pode ser benéfica para um pequeno grupo de pessoas, aí incluídos atletas competitivos, cuja dieta não seja balanceada. Tem-se observado que adolescentes envolvidos em atividade física ou atlética estão usando cada vez mais tais suplementos. A prevalência desse uso varia entre os tipos de esportes, aspectos culturais, faixas etárias (mais comum em adolescentes) e sexo (maior prevalência em homens). Poucos estudos se referem a frequência, tipo e quantidade de suplementos usados, mas parece ser comum que as doses recomendadas sejam excedidas.

A mídia é um dos importantes estímulos ao uso de suplementos alimentares ao veicular, por exemplo, o mito do corpo ideal. Em 2001, a indústria de suplementos alimentares investiu globalmente US$ 46 bilhões em propaganda, como meio de persuadir potenciais consumidores a adquirir seus produtos. Na adolescência, período de autoafirmação, muitos deles não medem esforços para atingir tal objetivo.

ALVES, C.;LIMA, R. J.Pediatr. v.85, n.º 4, 2009 (fragmento).

Sobre a associação entre a prática de atividades físicas e o uso de suplementos alimentares, o texto informa que a ingestão desses suplementos

a)

é indispensável para as pessoas que fazem atividades físicas regularmente.

b)

é estimulada pela indústria voltada para adolescentes que buscam um corpo ideal.

c)

é indicada para atividades físicas como a musculação com fins de promoção da saúde.

d)

direciona-se para adolescentes com distúrbios metabólicos e que praticam atividades físicas.

e)

melhora a saúde do indivíduo que não tem uma dieta balanceada e nem pratica atividades físicas.

9 -

(99)

TEXTO I

João Guedes, um dos assíduos frequentadores do boliche do capitão, mudara-se da campanha havia três anos. Três anos de pobreza na cidade bastaram para o degradar. Ao morrer, não tinha um vintém nos bolsos e fazia dois meses que saíra da cadeia, onde estivera preso por roubo de ovelha. A história de sua desgraça se confunde com a da maioria dos que povoam a aldeia de Boa Ventura, uma cidadezinha distante, triste e precocemente envelhecida, situada nos confins da fronteira do Brasil com o Uruguai.

MARTINS, C. Porteira fechada. Porto Alegre: Movimento, 2001 (fragmento).

TEXTO II

Comecei a procurar emprego, já topando o que desse e viesse, menos complicação com os homens, mas não tava fácil. Fui na feira, fui nos bancos de sangue, fui nesses lugares que sempre dão para descolar algum, fui de porta em porta me oferecendo de faxineiro, mas tava todo mundo escabreado pedindo referências, e referências eu só tinha do diretor do presídio.

FONSECA, R. Feliz Ano Novo. São Paulo: Cia. das Letras, 1989(fragmento).

A oposição entre campo e cidade esteve entre as temáticas tradicionais da literatura brasileira. Nos fragmentos dos dois autores contemporâneos, esse embate incorpora um elemento novo: a questão da violência e do desemprego. As narrativas apresentam confluência, pois nelas o(a)

a)

criminalidade é algo inerente ao ser humano, que sucumbe a suas manifestações.

b)

meio urbano, especialmente o das grandes cidades, estimula uma vida mais violenta.

c)

falta de oportunidades na cidade dialoga com a pobreza do campo rumo à criminalidade.

d)

êxodo rural e a falta de escolaridade são causas da violência nas grandes cidades.

e)

complacência das leis e a inércia das personagens são estímulos à prática criminosa.

10 -

(100)

O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.

ROSA, J . G. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

No romance Grande sertão: veredas, o protagonista Riobaldo narra sua trajetória de jagunço. A leitura do recho permite identificar que o desabafo de Riobaldo se aproxima de um(a)

a)

diário, por trazer lembranças pessoais.

b)

fábula, por apresentar uma lição de moral.

c)

notícia, por informar sobre um acontecimento.

d)

aforismo, por expor uma máxima em poucas palavras.

e)

crônica, por tratar de fatos do cotidiano.

« anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 próxima »

Marcadores

Marcador Verde Favorita
Marcador Azul Dúvida
Marcador Amarelo Acompanhar
Marcador Vermelho Polêmica
Marcador Laranja  Adicionar

Meus Marcadores

Fechar
⇑ TOPO
Salvar Texto Selecionado

CONECTE-SE

Facebook
Twitter
E-mail

Copyright © Tecnolegis - 2010 - 2019 - Todos os direitos reservados.