ACESSE GRATUITAMENTE + DE 450.000 QUESTÕES DE CONCURSOS!

Informações da Prova Questões por Disciplina Downloads Tribunal de Justiça - São Paulo - Escrevente Técnico Judiciário - Vunesp - 2013 - Prova Objetiva

Cliente paulista, garçom carioca

Veja, aí estão eles, a bailar seu diabólico “pas de deux” ( *) : sentado, ao fundo do restaurante, o cliente paulista acena, assovia, agita os braços num agônico polichinelo; encostado à parede, marmóreo e impassível, o garçom carioca o ignora com redobrada atenção. O paulista estrebucha: “Amigô?!”, “Chefê?!”, “Parceirô?!”; o garçom boceja, tira um fiapo do ombro, olha pro lustre.

Eu disse “cliente paulista”, percebo a redundância: o paulista é sempre cliente. Sem querer estereotipar, mas já estereotipando: trata-se de um ser cujas interações sociais terminam, 99% das vezes, diante da pergunta “débito ou crédito?”.[...] Como pode ele entender que o fato de estar pagando não garantirá a atenção do garçom carioca? Como pode o ignóbil paulista, nascido e criado na crua batalha entre burgueses e proletários, compreender o discreto charme da aristocracia?

Sim, meu caro paulista: o garçom carioca é antes de tudo um nobre. Um antigo membro da corte que esconde, por trás da carapinha entediada, do descaso e da gravata borboleta, saudades do imperador. [...] Se deixou de bajular os príncipes e princesas do século 19, passou a servir reis e rainhas do 20: levou gim tônicas para Vinicius e caipirinhas para Sinatra, uísques para Tom e leites para Nelson, recebeu gordas gorjetas de Orson Welles e autógrafos de Rockfeller; ainda hoje fala de futebol com Roberto Carlos e ouve conselhos de João Gilberto. Continua tão nobre quanto sempre foi, seu orgulho permanece intacto.

Até que chega esse paulista, esse homem bidimensional e sem poesia, de camisa polo, meia soquete e sapatênis, achando que o jacarezinho de sua Lacoste é um crachá universal, capaz de abrir todas as portas. Ah, paulishhhhta otááário, nenhum emblema preencherá o vazio que carregas no peito - pensa o garçom, antes de conduzi-lo à última mesa do restaurante, a caminho do banheiro, e ali esquecê-lo para todo o sempre.

Veja, veja como ele se debate, como se debaterá amanhã, depois de amanhã e até a Quarta-Feira de Cinzas, maldizendo a Guanabara, saudoso das várzeas do Tietê, onde a desigualdade é tão mais organizada: “Ô, companheirô, faz meia hora que eu cheguei, dava pra ver um cardápio?!”. Acalme-se, conterrâneo. Acostume-se com sua existência plebeia. O garçom carioca não está aí para servi-lo, você é que foi ao restaurante para homenageá-lo.

(Antonio Prata, Cliente paulista, garçom carioca. Folha de S.Paulo, 06.02.2013)

(*) Um tipo de coreografia, de dança.

1 -

Leia o texto, para responder à(s) questão(ões) seguinte(s).

É correto dizer que a acentuação gráfica que o autor emprega tanto segue a norma-padrão quanto desobedece a ela, neste caso, numa tentativa de imitar a entonação oral do chamamento. Essa afirmação é baseada na acentuação, respectivamente, de

a)

sapatênis e Tietê.

b)

diabólico e marmóreo.

c)

esquecê-lo e amigô.

d)

companheirô e débito.

e)

chefê e parceirô.

2 -

Leia o texto, para responder à(s) questão(ões) seguinte(s).

Assinale a alternativa contendo passagem em que o autor simula dialogar com o leitor.

a)

Acalme-se, conterrâneo. Acostume-se com sua existência plebeia.

b)

Ô, companheiro, faz meia hora que eu cheguei...

c)

Veja, aí estão eles, a bailar seu diabólico "“pas de deux"”.

d)

Sim, meu caro paulista...

e)

Ah, paulishhhhta otááário...

3 -

Leia o texto, para responder à(s) questão(ões) seguinte(s).

No primeiro parágrafo, para reforçar a ideia que quer transmitir, o autor se expressa por meio de uma incoerência. Assinale a alternativa com a passagem que demonstra essa afirmação.

a)

.... encostado à parede, marmóreo e impassível...

b)

... o garçom boceja, tira um fiapo do ombro...

c)

.... o cliente paulista acena, assovia, agita os braços...

d)

... o garçom carioca o ignora com redobrada atenção.

e)

.... aí estão eles, a bailar seu diabólico "“pas de deux"”...

4 -

Leia o texto, para responder à(s) questão(ões) seguinte(s).

É correto afirmar que, no primeiro parágrafo, o autor traça um contraste entre as posturas do cliente e do garçom, contrapondo a

a)

agitação insistente do primeiro à estaticidade do segundo.

b)

informalidade do primeiro ao profissionalismo impassível do segundo.

c)

falta de polidez do primeiro à eficiência do segundo.

d)

negligência do primeiro à falta de educação do segundo.

e)

grosseria do primeiro ao cavalheirismo nobre do segundo.

5 -

Leia o texto, para responder à(s) questão(ões) seguinte(s).

Infere-se, da exposição de ideias, que o autor compõe retratos bem-humorados de dois tipos,

a)

apoiando as atitudes de ambos, cujas qualidades morais destaca.

b)

prestigiando o garçom, cuja atitude classifica de inadequada, em diversas passagens.

c)

identificando-se com as atitudes do cliente, apesar de expressar antipatia por aquele.

d)

tomando partido do garçom, pois, como este, o autor também é carioca.

e)

ironizando os comportamentos de ambos, embora ele também seja paulista.

6 -

Leia o texto, para responder à(s) questão(ões) seguinte(s).

O contexto em que se encontra a passagem –– Se deixou de bajular os príncipes e princesas do século 19, passou a servir reis e rainhas do 20: (2.º parágrafo) – leva a concluir, corretamente, que a menção a

a)

príncipes e princesas constitui uma referência em sentido não literal.

b)

reis e rainhas constitui uma referência em sentido não literal.

c)

príncipes, princesas, reis e rainhas constitui uma referência em sentido não literal.

d)

príncipes, princesas, reis e rainhas constitui uma referência em sentido literal.

e)

reis e rainhas constitui uma referência em sentido literal.

7 -

Leia o texto, para responder à(s) questão(ões) seguinte(s).

O sentido de marmóreo (adjetivo) equivale ao da expressão de mármore. Assinale a alternativa contendo as expressões com sentidos equivalentes, respectivamente, aos das palavras ígneo e pétreo.

a)

De corda; de plástico.

b)

De fogo; de madeira.

c)

De madeira; de pedra.

d)

De fogo; de pedra.

e)

De plástico; de cinza.

8 -

Para responder à(s) questão(ões) seguinte(s), considere a seguinte passagem:

"Sem querer estereotipar, mas já estereotipando: trata-se de um ser cujas interações sociais terminam, 99% das vezes, diante da pergunta “débito ou crédito?”."

Nesse contexto, o verbo estereotipar tem sentido de

a)

considerar ao acaso, sem premeditação.

b)

aceitar uma ideia mesmo sem estar convencido dela.

c)

adotar como referência de qualidade.

d)

julgar de acordo com normas legais.

e)

classificar segundo ideias preconcebidas.

9 -

Para responder à(s) questão(ões) seguinte(s), considere a seguinte passagem:

"Sem querer estereotipar, mas já estereotipando: trata-se de um ser cujas interações sociais terminam, 99% das vezes, diante da pergunta “débito ou crédito?”."

Nessa passagem, a palavra cujas tem sentido de

a)

lugar, referindo-se ao ambiente em que ocorre a pergunta mencionada.

b)

posse, referindo-se às interações sociais do paulista.

c)

dúvida, pois a decisão entre débito ou crédito ainda não foi tomada.

d)

tempo, referindo-se ao momento em que terminam as interações sociais.

e)

condição em que se deve dar a transação financeira mencionada.

10 -

Assinale a alternativa em que a oração destacada expressa finalidade, em relação à outra que compõe o período.

a)

Se deixou de bajular os príncipes e princesas do século 19, passou a servir reis e rainhas do 20...

b)

Pensa o garçom, antes de conduzi-lo à última mesa do restaurante...

c)

Você é que foi ao restaurante para homenageá-lo.

d)

... nenhum emblema preencherá o vazio que carregas no peito – ...

e)

O garçom boceja, tira um fiapo do ombro...

« anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 próxima »

Marcadores

Marcador Verde Favorita
Marcador Azul Dúvida
Marcador Amarelo Acompanhar
Marcador Vermelho Polêmica
Marcador Laranja  Adicionar

Meus Marcadores

Fechar
⇑ TOPO
Salvar Texto Selecionado

CONECTE-SE

Facebook
Twitter
E-mail

Copyright © Tecnolegis - 2010 - 2019 - Todos os direitos reservados.